Portal de notícias, artigos e informações. Criação e desenvolvimento de jogos e aplicativos digitais educativos.

28/05/2013 – 18h54

DE SÃO PAULO

Folha de São Paulo

Link da reportagem: http://folha.com/no1286373

 

Jovem de 18 anos vai virar ‘deus’ após descobrir segredo de cubo misterioso

 

O jovem Bryan Henderson, 18, desvendou, no último domingo (26), o mistério do game on-line “Curiosity – O que há dentro do cubo?”, um experimento criado pela produtora 22Cans.

Disponível para iOS e Android, “Curiosity” consistia de um cubo gigantesco formado por várias camadas de blocos menores. O objetivo final do jogo era simples: descobrir o que havia no centro do cubo.

O jogador que quebrasse o último bloco ganharia um prêmio que “mudaria sua vida em qualquer maneira mensurável”, nas palavras do criador do aplicativo, o designer de games Peter Molyneux, que trabalhou no antigo jogo de estratégia “Dungeon Keeper” e em séries como o RPG “Fable” e o simulador “The Movies”.

Segredo do cubo “Curiosity” levou 150 dias para ser desvendado; quatro milhões de pessoas jogaram o game.

 

Curiosas para descobrir o segredo do cubo, quatro milhões de pessoas se uniram para quebrar os blocos, com um toque de cada vez na tela de seus smartphones e tablets.

Até que, 150 dias depois do início do experimento, Bryan Henderson, de Edinburgo, na Escócia, alcançou o centro do cubo e encontrou o vídeo abaixo, no qual o criador de “Curiosity” lhe revelou o prêmio: a habilidade de ser o mais poderoso dos deuses no próximo game da 22Cans, “Godus” –um jogo de simulação no qual os jogadores controlam seus próprios mundos.

No vídeo, Molyneux explica que Henderson vai ditar as regras sob as quais as pessoas vão jogar “Godus”. Além disso, o jovem vai receber uma parcela dos lucros do game. “Cada vez que jogadores gastarem dinheiro no ‘Godus’, [o vencedor] ganhará uma pequena parte dessa quantia.”

“As pessoas vão me odiar por isso, mas só me registrei no jogo na manhã de domingo, horas antes de eu ganhar o prêmio”, contou Henderson à revista especializada em tecnologia “Wired”.

Como aponta a publicação, essa é a primeira vez em que o destino de uma comunidade inteira de jogadores estará nas mãos de uma única pessoa.

Segundo Molyneux, a ideia de criar um jogo desse tipo lhe veio há alguns anos, mas só agora a tecnologia lhe permitiu colocá-la em prática.

 

Reportagem veiculada na Folha de São Paulo.

Deixe um comentário