06/12/2010 – 03h00 | da Folha.com

FABIANA REWALD
DE SÃO PAULO

Link da reportagem: http://www1.folha.uol.com.br/saber/840407-lousas-e-mesas-digitais-facilitam-aprendizado-de-aluno-com-deficiencia-veja-video.shtml

Lousas e mesas digitais facilitam aprendizado de aluno com deficiência

Guilherme quase não enxerga. Camila não fala. Dennis escreve com dificuldade. Mas, com a ajuda da tecnologia, eles agora aprendem mais facilmente.

Há cerca de um mês, os alunos da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) de São Caetano do Sul (Grande SP) dispõem de lousas interativas da HechTech e de mesas educacionais eletrônicas da Positivo, doadas pelo Sesi.

Com as lousas, eles podem desenhar, escrever, acessar a internet e brincar com jogos educativos usando os dedos ou outra parte do corpo. Antes, a lousa comum não permitia a interação, já que muitos não tinham habilidade motora para segurar o giz.

A ferramenta também permite ampliar as letras, facilitando que Guilherme reconheça seu nome, escrito pela professora. E emite sons, que Camila pode compreender.

Rita Spinola Carlota, diretora do Centro de Vivências Especiais, ligado à prefeitura de Ferraz de Vasconcelos (Grande SP), cita outras vantagens da lousa digital.

“Fica mais fácil trabalhar a questão da atenção, da concentração e da coordenação motora fina.” O centro, que atende pessoas com deficiência ou dificuldades de aprendizagem, usa equipamentos da Smart Technologies.

Na escola especial Núcleo Aprendizagem e Desenvolvimento (zona sul de SP), a lousa digital também facilitou o trabalho de alunos e professores. “Usamos muito os recursos sonoros”, diz a diretora, Sandra Ferrini.

O principal ponto da tecnologia é dar autonomia ao estudante com algum tipo de deficiência, diz Priscilla Selares, do IBDD (Instituto Brasileiro dos Direitos da Pessoa com Deficiência).

Ela afirma, no entanto, que a maioria das instituições de ensino ainda não dispõem dos equipamentos que tornam computadores acessíveis, por exemplo.

Pensando nisso, o Projeto F123 começou neste ano a disponibilizar gratuitamente, em seu site (f123.org), os softwares livres que uma pessoa com deficiência precisa para usar um computador, como o de teclado virtual.

INCLUSÃO

Segundo Tadeu Terra, diretor de material digital dos sistemas de ensino (COC e Pueri Domus, entre outros) da Pearson, coisas pequenas podem facilitar a adaptação do deficiente na escola.

Ele cita como exemplos colocar legenda e áudio nos vídeos, pensar em um fundo que facilite a visão e trocar teclados comuns por outros gigantes e coloridos.

Vista como alternativa para casos em que há problemas de mobilidade, a educação a distância também se aprimora, com videoaulas e audiolivros.

“A educação a distância somada à tecnologia é a melhor maneira de encurtar o caminho da inclusão”, diz o ex-ministro da Educação Carlos Alberto Chiarelli, diretor do Iesde e presidente da Associação da Cadeia Produtiva de Educação a Distância.

Vídeo (para ver o vídeo, acesse o link abaixo):

http://www1.folha.uol.com.br/saber/840407-lousas-e-mesas-digitais-facilitam-aprendizado-de-aluno-com-deficiencia-veja-video.shtml


escolajogo

Artista e desenvolvedor de jogos e aplicativos educacionais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Posts Relacionados

Informações

Evento: Bom dia Memorial – a periferia e sua diversidade

Estará ocorrendo neste fim de semana o evento “Boa noite memorial / Bom dia memorial – A periferia e sua diversidade” no Memorial Minas Gerais Vale. O evento, que começa na sexta, dia 29 de Leia mais…

Notícias

Pesquisa feita nos EUA mostra como videogames podem beneficiar crianças

02/03/2015 – 10h12 Veja 5 jogos que vão deixar você mais inteligente Théo Azevedo Do UOL, em São Paulo Link da reportagem “Jogar videogame faz bem. De acordo com um estudo da Academia Americana de Leia mais…

Informações

Game educativo “Infância Livre”, aborda tema de exploração do trabalho infantil

O game “Infância Livre” (http://www.mptgames.com.br/infancialivre/) é o primeiro jogo fruto de uma parceria entre o Ministério Público do Trabalho de Campina Grande e o Curso Superior de Jogos Digitais da Facisa. Trata-se de um jogo denúncia Leia mais…