Portal de notícias, artigos e informações. Criação e desenvolvimento de jogos e aplicativos digitais educativos.

Posts Tagged ‘vrml’

Nesse artigo, irei expor meus conhecimentos a respeito do VRML, com o qual venho trabalhando desde 1998, quando tive meus primeiros contatos com essa linguagem.

 

VRML 2.0

O VRML97 ou VRML 2.0 (versão) é a sigla em inglês para Virtual Reality Modeling Language, ou, numa tradução literal para o português, Linguagem para Modelagem de Realidade Virtual.

O VRML é uma linguagem parecida com o HTML; mas ou invés de vermos textos, vemos objetos em 3D. Podemos criar mundos, ambientes internos ou externos, simples ou complexos objetos, enfim, praticamente tudo o que existe (e o que não existe) no universo, criar movimentos, funções, botões, links e etc.

Em termos técnicos, a extensão padrão do VRML97 é um arquivo ‘.wrl’.Para se construir um arquivo .wrl, usa-se um programa de texto simples, de preferência o Bloco de Notas. Podemos usar programas específicos também, mas creio que para isso é preciso um computador com bastante memória ram e um bom processador.Além disso, precisamos de um visualizador de extensões .wrl, ou seja um plugin. Aqui você poderá encontrar uma lista completa de plugins: http://cic.nist.gov/vrml/vbdetect.htmlOutro programa importante, é um navegador. O VRML é uma linguagem voltada para navegação web, como uma página na internet.Testei quatro: o Firefox (atualizado), o Internet Explorer 8, o Ópera e o Google Chrome. Todos funcionam numa boa, basta na hora de instalar o Cortona3D, escolher o navegador de sua preferência.Bom, depois de tudo instalado, você poderá visualizar os mundos em VRML.

  • Navegando no VRML:

No VRML você tem as mesmas funcionalidades básicas de um jogo em primeira pessoa. As setas te movimentam para frente ou para trás, para um lado ou para o outro. Pressionando a tecla ‘SHIFT’, seus movimentos ficam mais rápidos.

Cada visualizador tem uma estrutura diferente para navegação, mas as funções são as mesmas em todos. Isso porque quem determina como será feita a navegação do usuário é a própria linguagem do VRML.

 

Histórico

O VRML surgiu, como primeira versão, em meados de 1996, como VRML 1.0. Lembro-me que, na época, era uma verdadeira revolução na computação, pois permitia ao usuário uma experiência 3D, on-line, sem precedentes.
No ano seguinte, 1997, a linguagem foi aperfeiçoada, para VRML 2.0 ou VRML97. Foram acrescentados recursos de luz, animações e interatividade além de áudio e vídeo, fora aperfeiçoamentos da própria linguagem.
Por ser uma programação orientada a objetos, a estrutura também foi melhorada, permitindo uma melhor organização da programação em si.

Logo em seguida, o VRML foi caindo em desuso. Isso porque os aperfeiçoamentos feitos em outras linguagens como Java, Flash Player e até o surgimento de outras formas de interação on-line como a Unity Web-Player, foram adquirindo resultados melhores.
Isso porque o VRML trabalha, por padrão, com low-poly, ou seja, os objetos são meio ‘quadradões’ quando visualizados. E, quando usados em ‘high poly’, apresentam lentidão.
Outra questão que contribuiu para a queda do VRML, foi a internet. Na época se não tivesse uma internet de banda larga, dificilmente você conseguia ver um mundo construído em 3D. E, sabemos que a internet (pelo menos no Brasil) em 1998, 1999 era devagar quase parando.
Mesmo assim, consegui ver construções fantásticas em VRML. Só para citar alguns, cheguei a ver um museu interativo dedicado a Leonardo DaVince inteiro feito em VRML, as pirâmides Maias, e ainda um robô em Marte, construído pela NASA, dentre outros.

Nos últimos anos, andei vendo um ressurgimento, ainda que tímido, do VRML 2.0.
Houve uma tentativa de evolução do VRML, para a versão 3.0, ou X3D; mas até onde sei não vingou. A ideia era fazer com que o VRML não usasse plugin para ser visualizado, usando a plataforma Java. Como disse, não sei até que ponto esse projeto foi para frente.
Uma atualização interessante que vi e muito útil, é a utilização de arquivos feitos em Flash dentro de mundos VRML.

Essa interatividade é muito bem-vinda, já que pode-se criar mundos 3D e usar recursos de Flash dentro deles. O script é um pouco complexo, mas o resultado é excelente! O leque de possibilidades são infinitas…
Fiz uma experiência com esse recurso e obtive um ótimo resultado.
(http://www.escoladejogos.com.br/animacoes/galeria-3d/).
O único porém, é que apenas um plugin aceita esse recurso, que é o que ando recomendando para baixar (ver no site: http://www.escoladejogos.com.br/modelagem/).

Softwares e compatibilidades

Interface do Cortona3D.

Atualmente muitas empresas que criavam plugins para visualizações de ambientes VRML infelizmente descontinuaram seus projetos, fazendo com que o leque de opções caísse radicalmente. Além disso, outras empresas pararam de lançar atualizações, como é o caso do plugin Cosmo Software.
Para Windows ainda encontramos bons plugins. Para Linux, tentei de todas as formas fazer funcionar com as opções que encontrei. Mas, não sei se foi por incompetência minha ou por outro motivo, o que importa é que não obtive êxito na minha empreitada.
Para Mac (pasmem!), consegui achar um plugin que funciona! Não roda muito bem, de vez em quando dá um ‘Crash’, mas, consegui visualizar os ambientes. Para quem usa Mac o nome do arquivo é esse: FreeWRL-1.22.10-UB_Feb9-2011.dmg. Tive muito trabalho para encontrar o dito cujo, portanto quem quiser, tenho o arquivo comigo.

  • Softwares:

Outra questão a ser levada em conta é o uso de softwares para construir os mundos em VRML. Particularmente, sempre usei um arquivo de texto. Mais especificamente o bloco de notas do Windows.
Mas, existem vários softwares disponíveis no mercado. Os que cheguei a experimentar foram:
 
1. VRMLPad: é um software de programação voltado para VRML. Já tem os atributos embutidos, as quebra de linhas, as funções, as características dos objetos, basta apenas organizar e inserir os valores correspondentes. Existe uma versão gratuita, limitada, e a versão completa é paga;

Interface do VRMLPad


 
 
2. Blender (até a versão 2.49): é um software de modelagem 3D. Embora tenha script para programação, ela não se aplica aos ambientes VRML (não que eu saiba). Com ele você pode modelar os objetos, ambientes e etc e depois exportar para VRML. Infelizmente isso só é possível até a versão 2.49. As outras versões até importam arquivos VRML, mas não exportam. O software é gratuito;

Interface do Blender 2.49


 
 
3. Studio Max 3D: assim como o Blender, o Studio Max exporta e importa para VRML, mas apenas as versões mais antigas. A última que cheguei a testar foi o Studio Max 9.0 (bem ultrapassado, diga-se de passagem);


 
 
4. Maya: um outro software muito bom (e que mais uso atualmente) é o Maya. O Maya, por padrão, não tem suporte ao VRML. Mas tem uma configuração nas preferências de plugins, que permite ao software exportar para VRML. Mas, no caso, só testei até a versão 12 do Maya. E ele apenas exporta, não permitindo importar. Para configurar, vá em Windows >> Settings/Preferences >> Plug-in Manager e marque as opções Loaded e Auto load do ‘vrml2Export.mll’.

Tanto o Maya quanto o Max são pagos, mas, fazendo um cadastro na Autodesk, é possível baixar os softwares em versão para estudantes e as licenças duram 3 anos.

 
 
Com exceção do VRML Pad, todos os outros softwares só servem para modelar objetos; animações e interatividades têm que ser na unha mesmo… aí, tem que conhecer bem a linguagem.

Próximo artigo: Usos e aplicações do VRML nos dias atuais…

Novas modelagens baseadas em dois modelos programados em VRML. Aproveitei os modelos prontos e consegui importá-los no Blender. Depois exportei em .OBJ e abri no Maya.

Os modelos, por uma questão de tecnologia, receberam novidades, como carrancas na proa, um arrendondamento nas tábuas e nas partes em geral que compõem os dois modelos, além de texturas, adição de outros componentes e aperfeiçoamento dos componentes dos modelos, como os canhões e os barris. As velas receberam maior curvatura e textura. E, claro, o cenário em alto mar. Um á noite e o outro durante o dia. Vale a pena conferir.

Para ver as imagens renderizadas dos modelos:

Olá a todos e todas! Estou disponibilizando mais modelos em 3 dimensões! Agora são 18 modelos de objetos em 3D, 6 ambientes totalmente em 3 dimensões, dois jogos e 1 aplicativo.

As novas modelagens disponíveis são dois modelos de árvore, criadas usando o software Maya 2012, versão para estudantes, um corpo humano com as proporções baseadas no desenho de Leonardo DaVince, criado no Blender, exportado para o Maya e depois exportado para VRML, e um ambiente de um lago com uma docas, também criado utilizando o Maya 2012.

Confira os links:

Jogo em VRML de Circum-Navegação!

JOGO EDUCATIVO VIAGEM DE CIRCUM-NAVEGAÇÃO DE FERNÃO DE MAGALHÃES:

  • Objetivo Geral:

Facilitar o aprendizado de alunos do ensino fundamental, de maneira lúdica e interessante, acerca da viagem de circum-navegação realizada pelo navegador espanhol Fernão de Magalhães, iniciada em 20 de setembro de 1519 e finalizada em 6 de setembro de 1522.

Mais detalhes do jogo!

Novos modelos de objetos e ambiente disponíveis para visualização. Os modelos estão em VRML, portanto, é necessário ter um plugin instalado. Recomendamos o Cortona 3D!

Novos modelos:

  • Aluno –  é um modelo mais antigo que fiz usando o bloco de notas para programar.
  • Tabuleiro – modelo de um tabuleiro de xadrez construído no Blender.
  • Arte moderna – modelo 3D utilizando o Maya 2012.
  • Luminária – modelo de uma luminária – da Pixar – utilizando o Maya 2012.

Ambiente:

  • Sala – ambiente interno de uma sala em 3 dimensões. Infelizmente durante a exportação o arquivo perdeu os efeitos de iluminação, as texturas e alguns efeitos aplicados no ambiente.

Olá! Acabei de fazer mais uma postagem de um modelo em 3D prontinho, saído do forno.

É uma espada simples em 3 dimensões, criada utilizando o Maya 2011/12. Fiz como um exercício de aula de modelagem.

Consegui uma maneira de exportar para VRML e disponibilizar aqui no site para visualização. Quem tiver curiosidade, esse é o link: espada 3D!

Para poder visualizar o modelo utilizando o navegador todo, acesse esse link: Espada 3D!

Para ver outros objetos em 3D, clique aqui!

Em breve irei postar outros modelos que estão em construção. Até breve!

Hoje é possível encontrarmos alta tecnologia aplicada diretamente no ensino. Escolas públicas e particulares estão aderindo, cada vez mais aos recursos que a tecnologia nos oferece.

Abaixo uma notícia veiculada no site Portal do Professor, do MEC, retratando essa nova realidade da educação brasileira.

Uma curiosidade: eles utilizam um sistema em 3D para visualização do corpo humano. Essa tecnologia é uma velha conhecida nossa: o VRML!

 

Edição 2 – Novas Tecnologias na Educação

Lousa digital, carteiras eletrônicas e animações em 3D: ferramentas da escola do futuro

Link da notícia: http://portaldoprofessor.mec.gov.br/conteudoJornal.html?idConteudo=17

Lousa digital, carteiras eletrônicas e animações em 3D: ferramentas da escola do futuro

No quadro negro, as imagens se movimentam com o toque das mãos. Nas tradicionais carteiras, além de cadernos e lápis, as crianças podem acessar a internet. A cena que parece ser de um filme de ficção científica está mais real do que se imagina. Essas e várias outras tecnologias já estão sendo utilizadas em escolas brasileiras.

Em Pelotas (RS), a Escola de Ensino Fundamental e Médio Mário Quintana já aderiu às lousas digitais desde junho do ano passado. Segundo a professora de língua portuguesa da escola, Thaís de Almeida Rochefort, a ferramenta permitiu que os alunos dessem “vida aos conhecimentos”. “Assuntos antes tratados de maneira menos interativa, agora fazem com que os alunos se sintam parte deles, co-autores”, explica.

Ela e outros professores têm recebido treinamentos constantes para se adaptar à nova tecnologia. “A cada aula descobrimos novas possibilidades de tornar a escola mais próxima e significativa”, conta, ao ressaltar que a reação dos alunos não poderia ser mais positiva.

Um exemplo de programa que pode ser utilizado na lousa digital é o software em três dimensões. Com ele, os professores podem elaborar aulas interativas, revelando o interior de uma célula, o relevo de um mapa, ou até mesmo os músculos do corpo humano. Basta, por exemplo, tocar o dedo na tela para o sistema solar aparecer e se movimentar.

Desenvolvido pela empresa P3D, em parceria com a Universidade de São Paulo (USP), o Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (Ipen) e o Centro Incubador de Empresas Tecnológicas (Cietec), o software já está sendo utilizado em 200 escolas privadas e 30 públicas no Brasil. O programa não tem texto, nem guia de voz, somente imagens de grande qualidade gráfica. Segundo a professora Jane Vieira, executiva da P3D, esta característica é uma vantagem porque as imagens podem ser usadas com qualquer material didático, independentemente de filosofia, pedagogia e didática. Jane Vieira garante que em breve o instrumento será oferecido em software livre, o que permitirá que todas as escolas utilizem gratuitamente.

Já no município de Serrana (SP), cidade próxima a Ribeirão Preto, as carteiras eletrônicas são a novidade. Conhecidas como Lap Tup-niquim, elas dispõem de uma tela sensível a toques, sobre a qual se pode escrever, fazer desenhos ou equações. O tampo pode ser levantado, e abaixo dele fica um teclado, caso seja necessário digitar. A CPU do computador fica acoplada embaixo da carteira.

Desenvolvidas em parceria pelo Centro de Pesquisas Renato Archer (Cenpra), de Campinas, instituição do Ministério da Ciência e Tecnologia, e pela Associação Brasileira de Informática (Abinfo), empresa abrigada na Companhia de Desenvolvimento do Pólo de Alta Tecnologia de Campinas (Ciatec), cerca de 300 carteiras eletrônicas já estão sendo utilizadas na Escola Municipal Maria Celina. De acordo com Victor Mammana, idealizador do projeto, o diferencial da carteira é justamente a superfície de interação. “Como diz Bill Gates, a próxima revolução não será de conteúdo nem da forma de apresentá-lo, mas, sim, da maneira como o corpo humano irá interagir com a tecnologia”, afirma. O projeto tem apoio da Secretaria de Educação a Distância do Ministério da Educação.

(Renata Chamarelli)

Vídeo de demonstração da tecnologia digital 3D:

Reparem que o modelo 3D utiliza um navegador, o Cosmo Player, que é um plugin de visualização da linguagem VRML.

 

 

Modelagem 3D!

Modelagem de objetos, ambientes, criação de movimentos e animações

Um dos objetivos da Escola de Jogos é desenvolver, além de jogos digitais educativos, modelos de objetos, ambientes, animações e movimentos com fim educativos.

Desenvolvemos aplicativos para serem utilizados por profissionais da área da educação, bem como instituições, para facilitar o aprendizado de alunos e estudantes.

Sempre procurando aliar a tecnologia com o conhecimento, reservamos um espaço no site para demonstrar ao visitante as vantagens de se ensinar aproveitando o melhor da tecnologia disponível atualmente.

Desenvolvemos modelos em 3 Dimensões para uma visualização mais amigável e de fácil aprendizado. Pode ser útil para pessoas com dificuldades de visualização de objetos e ambientes. Podem ser úteis em trabalhos escolares e projetos profissionais.

  • VRML 2.0 – uma breve descrição dessa linguagem de programação, útil para modelagem em 3 dimensões com visualização on-line.
  • Modelagem 3D – alguns modelos criados pela escola de jogos.
  • Ambientes 3D – alguns ambientes criados usando o vrml 2.0 e também algumas animações.
  • Jogos – jogos criados pela escola de jogos.
  • Aplicativos – aplicativos criados pelo site escola de jogos.

Atenção! Para a correta visualização dos objetos, ambientes, jogos e aplicativos em 3D, é necessária a instalação de um plugin. Clique aqui e faça o download do Cortona 3D!

A Escola de Jogos realizou alguns testes com diferentes sistemas operacionais e diferentes navegadores em pcs, e constatamos que o plugin da Cosmo Software não teve um bom rendimento para a visualização dos mundos em 3D em VRML, chegando mesmo a até travar alguns navegadores na hora da visualização.

Portanto, estamos recomendando o download do “Cortona 3D”, que é, inclusive, o software usado para a visualização de nossos aplicativos, games e projetos em VRML.

O Cortona 3D se mostrou mais estável e também foi o único que permitiu a visualização da ambientes VRML que fazem interação com recursos Flash.

Para fazer o download do Cortona 3D, clique aqui.

Não precisa pesquisar muito na internet para descobrir sites interessantes sobre aplicações em VRML.

Um dos sites interessantes que a Escola de Jogos “descobriu”, e que estamos disponibilizando o link de acesso, é o

“The world  of Ancient  Mayas in  virtual reality”

É um site que procurou reconstruir algumas construções da civilização Maia. Vale a pena dar uma olhada pelo nível de detalhes e de fidelidade com as contruções originais.

O site (em inglês), dá uma pincelada em algumas informações sobre a civilização Maia, mas nada muito profundo, e se concentra principalmente nas construções e animações em VRML.

Para acessar o site, clique aqui!

Este é um projeto que teve início em meados de 1998, com a construção do Sistema Solar em VRML. Na época, o VRML ainda estava em sua linguagem inicial, a versão 1.0.

O Sistema Solar ficou pronto rapidamente, mais ou menos no ano 2000. Mas o projeto inicial era montar um atlas mesmo.

A partir da criação do site Escola de Jogos, foi possível desenvolver melhor o atlas; afinal não me interessava apenas o sistema solar em 3 dimensões; era preciso informações a respeito do que o usuário estava visualizando em 3D.

Por fim, consegui reunir as informações necessárias para a construção do atlas. Era preciso informações dos astros em geral, e maiores conhecimentos em outras linguagens de programação para tornar a experiência mais enriquecedora e interativa, como conhecimentos em PHP e HTML.

Com a interação HTML, PHP e VRML, bastava apenas montar um layout (como em um web site), e criar o atlas.

Read the rest of this entry »

O site Escola de Jogos ainda é um site muito novo. Criado e idealizado no segundo semestre de 2010, foi ao ar exatamente no dia 09 de agosto de mesmo ano, com a proposta de desenvolver jogos digitais voltados para a área educacional.

Além disso, tem como proposta informar o público em geral tudo relativo ao universo dos games digitais de cunho educacional ou mesmo profissionalizante.

Imagem do primeiro layout do site:

Depois de 4 meses, o site ganha um novo layout.

E apresenta dados interessantes: temos mais de 40 posts, 29 páginas, 114 tags, 815 visitas únicas, fomos acessados por 14 países diferentes e, no Brasil, contabilizamos acessos vindos de 85 cidades.

São bons números, mas muito longe do desejado. O importante é que o site está crescendo em conteúdo e inclusive acessos diários.

Web site em VRML

Um dos projetos que estão em desenvolvimento, é a criação do site em 3D, mais especificamente utilizando a linguagem VRML. Estamos desenvolvendo maneiras de criar uma interação com recursos de Flash, para tornar a experiência mais interativa.

Estatísticas de Acesso:
  • 10 de agosto de 2010Desde:
  • 4Visitas hoje:
  • 156161Total de visitas:
  • 295812Visualizações:
  • 1Online:
Nuvem de Tags